Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deu-me para isto

Boa vida, Livros, Moda e Beleza, Música, parvoices

Não havia necessidade....

Mas só com uma reclamação é que o assunto se resolveu

Mudámos de casa.

E isto significa mudar todos os contratos de serviços que tínhamos na casa antiga para a casa nova. É algo sempre chato de se fazer mas tem que ser feito porque uma pessoa já não vive sem luz, água, gás..... e internet. É vergonhoso mas é a verdade.

A primeira acção que faço é ir ao site da empresa de comunicações (ET, a partir daqui) para ver se tinham cobertura. Dizia-me que não.

Ligo para o apoio ao cliente para confirmar esta situação, a qual confirmam.

Passado uns dias, estava num centro comercial e aproveitei para ir à loja da ET para cancelar o contrato já que não consegui ter as mesmas condições. Informam-me que tenho um contrato de fidelização vigente até Abril e que não podiam fazer isso. O melhor seria ir a uma loja "oficial" para tentarem resolver a situação.

Fui a uma loja oficial e disseram que não podiam fazer nada porque tinha a fidelização. Argumento que a lei está do meu lado porque não conseguem cumprir as condições do contrato na nova morada. Respondem-me que isso é com o departamento legal e que ali não podem fazer nada. Pergunto com quem posso falar e dão-me o endereço de e-mail e o número do apoio ao cliente. Pergunto-me então o que estão aquelas pessoas a fazer as lojas da ET se não conseguem resolver problemas

Borrifei-me no e-mail e ligo para o apoio ao cliente e explico pela centésima vez o assunto. A resposta aqui evolui mais um bocadinho: dizem que o contrato foi feito para aquela morada e então não podem cancelar. Dizem que como têm alternativas, não vão cancelar o contrato. Continuei sem o meu assunto resolvido e despeço-me e desligo a chamada. O marido diz que devia responder que a ET deveria cobrar à casa o que restava da fidelização, já que o contrato foi feito para aquela morada. Era uma boa resposta não era?

No dia a seguir, já muito chateada com o assunto faço uma reclamação no livro de reclamações online. Expus a minha situação e indico o número do artigo do código civil no qual me estou a apoiar para cancelar o contrato.

Passado dois dias ligam-me do departamento de qualidade da ET. Dizem-me que como sou cliente há uns anos (desculpa esfarrapada), que vão cancelar o contrato sem ter que pagar o resto da fidelização. Informam-me também que todas as respostas que obtive até então fazem parte de um guião que a ET disponibiliza aos colaboradores e que estes têm que seguir estas regras. 

No final, só tive que devolver os equipamentos e pagar até ao dia de cancelamento do contrato.

Havia necessidade de chegarmos a este ponto? Claro que não havia.

Só que estas empresas fazem de tudo para receberem o dinheiro. Se a lei estava do meu lado porque me dificultavam a vida?

Lição aprendida: Eu já estava a pensar em deixar de pagar mas ainda bem que reclamei primeiro. Se deixasse de pagar, perdia a razão toda.

Ainda lá temos os contratos dos telemóveis. Já estamos a pensar mudar por causa desta situação.

5 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Gosto disto

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D