Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deu-me para isto

Boa vida, Livros, Moda e Beleza, Música, parvoices

As pessoas têm que se convencer

De que quando chegam a velhas e não têm saúde, têm que estar perto dos filhos. Eu digo filhos mas pode ser apenas pessoas que podem cuidar delas.

Este fim-de-semana vivi de perto uma situação semelhante a esta: uma senhora idosa que já não pode ficar sozinha.

Um dos filhos ainda vive com ela mas tirou uns dias de férias e foi para fora. Gerou-se logo a confusão para ver quem podia ir dormir lá a casa. Como estamos em altura de férias escolares, duas netas dispuseram-se a ficar com ela.

No entanto, isto é só uma solução temporária.

O filho daqui a uns meses vai-se mudar para a casa dele e é preciso resolver a situação. Os filhos não podem deixar o trabalho e os netos também não podem deixar a escola só para tomarem conta da senhora.

Ir dormir à vez a casa da senhora também não pode ser solução porque tantos os filhos e os netos têm as suas rotinas. A casa da senhora fica desviada da cidade, numa daquelas aldeias que estão a ficar desertas.

Pagar a uma enfermeira ou a um lar também não é solução porque nem todos os filhos têm condições para pagar. E todos sabemos que sai muito caro.

A solução seria a senhora ir para casa dos filhos nem que fosse um mês a cada um.  

Mas porque é que ainda existe a discussão?

Porque a senhora não quer sair de casa dela. É daquelas velhotas casmurras que não quer, por nada deste mundo, sair de casa dela. E estou a falar de uma casa que não tem condições nenhumas: as janelas estão mal vedadas e entra frio por todo o lado. “Só saio quando morrer”, diz ela.

Esta situação já estou eu a prever que aconteça. Um dia vão dar com ela já morta.

Este texto não é uma crítica a estes filhos nem a estes netos. É uma crítica à senhora: o custo da teimosia dela é a própria vida. Valerá a pena?

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Cat 13.08.2021

    No caso que testemunhei de perto a solução foi:
    1. Fica uma filha durante o dia. Nunca trabalhou e não tem filhos e sempre esteve por lá a tomar conta da mãe e dos sobrinhos enquanto são pequenos. Acho que está como cuidadora informal e recebe o apoio do estado.
    2. Vai um filho por noite dormir à casa dela.

    Foi a solução que se arranjou e já dura desde 2016. Se é a solução ideal? Claro que não porque muitos filhos têm filhos pequenos e moram relativamente longe. E, sinceramente, acho que nenhum dos filhos pensou que esta situação durasse tantos anos.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Gosto disto

    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D