Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Deu-me para isto

Boa vida, Livros, Moda e Beleza, Música, parvoices

Nova programação

 E não é que ontem estava a fazer zapping e o Alô Alô está a dar a RTP Memória?! 

allo-allo.jpg

  E os Ficheiros Secretos também?!

The_X-Files.jpg

E isto faz parte da programação diária?!

ADOOOORO.... já tenho programa para as próximas noites. E desta vez, o comando é meu! (para quem não percebeu, aqui está o contexto)

O meu mealheiro

Lembram-se de quando eram pequeninos e terem um mealheiro? Eu acho que não há ninguém que não tivesse um mealheiro. O meu era uma caixinha azul e eu adorava o som das moedas a cairem lá dentro :)

Infelizmente, à medida que vamos crescendo vamos perdendo este hábito. Eu, apesar de já não ter a minha caixinha, continuo a amealhar dinheiro. Não, isto não vai ser um post sobre finanças porque na verdade eu amealho dinheiro sem a intenção de o fazer. Eu explico:

Quando vou ao supermercado esqueço-me sempre que os carrinhos precisam de uma moeda. Portanto, quando vou buscar um carrinho, tiro uma moeda da carteira e vou às compras. Chego ao meu carro, arrumo as compras e deixo a moeda lá para a próxima vez.

O que é que acontece nas próximas compras? Esqueco-me que tenho a moeda no carro. Lá tenho eu que tirar mais uma moeda da carteira. E sabem o que faço a essa moeda? Ponho no carro a fazer companhia às outra todas que já lá estão. Porquê? Não sei.....

E acontece-me também aquela situação em que não tenho moedas na carteira e peço uma chapinha no supermercado. Um boa ideia seria deixar a chapinha no carro e arrumar as moedas na carteira. Certo? Comigo não funciona assim. Eu ponho as moedas no carro e arrumo as chapinhas na carteira. Devo achar que o plástico tem o mesmo valor que as moedas... enfim.

Isto também vos acontece ou eu sou a única?

A vós, peões!

Vocês, peões, que andam a pé, sabem o que é isto?

passadeira.jpg

Uma passadeira. Muito bem! Fico contente por vocês saberem isto.

E sabem para que foram criadas? Para vocês terem um sitio para atravessarem a estrada.

Mas digam-me uma coisa, porque é que insistem em:

Atravessar a estrada a meia dúzia de passos de uma passadeira?

Não sei se têm noção, mas isto não só é um perigo a vossa segurança mas como são um incómodo para quem conduz. Porquê?! Perguntam vocês já todos indignados.... Bem, porque nós vamos ter que parar porque já estão a meio da faixa e vamos ter que parar mais à frente porque está uma pessoa a fazer o correcto: atravessar a estrada numa PASSADEIRA.

Nisto, o trânsito que até está fluido torna-se num pára-arranca.

Atravessar a estrada na passadeira sem olhar?

Vamos lá ver uma coisa.... A passadeira é um local onde vocês têm prioridade. Ora se já estamos em cima da passadeira, é muito complicado travar a tempo. Nestes casos, acontece uma de três situações:

  1. Não conseguimos travar a tempo e atropelámos um peão. Já está a confusão gerada e claro o trânsito está parado. Ah, e vocês vão parar ao hospital e provavelmente vão ter dores para o resto da vossa vida. Pensem nisto como as caixas prioritárias do supermercado: se o funcionário já está a atender uma pessoa na caixa, ele não vai deixar de atendê-los só porque vocês, que estão grávidas ou com crianças de colo ou são mais idosos chegaram, certo? Se fazem isto no supermercado, porque não fazem quando é a vossa vida que está em jogo?
  2. Conseguimos travar a tempo mas o carro de trás não, e bateu-nos. Mais uma vez, a confusão instalou-se e o trânsito está parado. Vocês vão à vossa vidinha porque não foi nada convosco; nós não fizemos mais nada que a nossa a obrigação
  3. Até conseguimos travar a tempo e por sorte não vinha ninguém atrás. Isto foi provavelmente à noite ou de madrugada quando não há trânsito.

Atravessar a passadeira a falar ao telemóvel sem olhar?

E, depois, reclamar comigo quando eu vos chamei à atenção?

Se nós não pudemos conduzir e falar ao telemóvel, vocês também não podem falar ao telemóvel e atravessar estradas sem olhar. É simples.

Eu já cheguei à conclusão que quem faz isto são pessoas que nunca conduziram na vida. Só pode porque eu não vejo outra explicação. E se for alguém que até tem a carta e conduz? Bom... são parvos.

Consulta dos olhos

Eu sei que este título está muito básico, mas é que existem várias especialidades no que toca a olhos. E eu cometi o erro de as confundir.

Ele tinha-se andado a queixar de dores de cabeça quando estava ao computador. Eu fui dizendo que era necessário ver o que se passava mas, claro, só quando a situação se tornou insuportável é que a consulta foi marcada (estou a falar, mas sou igual).

Falámos com a nossa amiga P.; ela trabalha numa óptica e é de confiança.

- P. precisamos de marcar uma consulta de oftalmologia, estás disponível este fim de semana?

- Oftalmologia?! Não, não... optometria... e sim estou disponível. – Parte 1 da confusão. Afinal, a especialidade dela é optometria e não oftalmologia. Para mim, vai dar tudo ao mesmo.

Lá marcámos a consulta: eu, ele e a prima. A prima estava cá de férias pelo que aproveitámos e fomos até ao Chiado.

Chegados aos Armazéns do Chiado ainda demorámos uns 10 minutos a encontrar a loja. E isto por azelhice nossa. Eu passo a explicar. A P. disse-nos onde era a loja: eu não retive a informação, ele achou que eu tinha retido (como mulher, faz parte das minhas funções) e a prima, simplesmente, não sabia.

Feitas as consultas, o diagnóstico foi o seguinte:

Ele – Precisa de óculos, está cegueta

Eu – Preciso de lágrima, pelos vistos, os meus olhos não têm hidratação suficiente

Prima – não precisa de nada, é jovem.

E lá fomos tratar de escolher uns óculos e graduações necessárias. Tenho que dizer que escolher um par de óculos é uma tarefa bastante difícil. Uma coisa é escolher óculos de sol, mas óculos normais é outra coisa. É um acessório necessário e que vamos estar o dia todo com eles: têm que ficar MESMO bem.

Estava tudo bem encaminhado até que vimos que a seguradora não comparticipava os óculos. Não sabíamos porquê, o plafond ainda não tinha sido utilizado. Tivemos que vir embora, sem nada.

Lá nos fomos informar junto da seguradora. Eles não aceitam receitas de optometristas, só de oftalmologistas. Parte 2 da confusão, para mim vai dar tudo ao mesmo.

Lá tivemos que gastar dinheiro numa consulta de oftalmologia. Tenho que dizer que o senhor doutor não foi muito simpático e achou por bem mudar a graduação. É o que dá ser honesto e dizer a razão porque estamos ali.

De volta, ao Chiado e já com uma receita de oftalmologia encontrámos outro problema: estes óculos lindíssimos da Carolina Herrera que estavam na montra:

Oculos.JPG

 (a imagem engana um bocadinho, as hastes são todas vermelhas)

 

Não resisti à tentação de experimentar.... e ficaram-me bem. Mas, mesmo assim, tive que experimentar mais uns 10 ou 15 pares...só para ter a certeza. É o que dizem: “ Os primeiros é que ficam”.

E, desta vez, saímos com alguma coisa: uns óculos de ver para o menino e uns óculos de sol para a menina.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Gosto disto

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D