Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deu-me para isto

Boa vida, Livros, Moda e Beleza, Música, parvoices

“Não te estou a ver a andar de transportes”

Eu oiço com cada coisa que fico parva.

Já há muito tempo que acho que passo uma imagem minha que é errada, que não transmite o que realmente sou. E esta frase veio confirmar isto.

Durante 5 anos, andei de transportes públicos para ir trabalhar. Agora não faço isso porque o custo dos transportes públicos não é assim tão diferente face ao carro. Ainda agora fiz as contas, e ir de transportes públicos ficava-me 13 euros mais barato por mês. Mas em termos de tempo, não me compensa. Não é uma questão de ser "fina", simplesmente não compensa.

Eu estava a explicar isto à pessoa que me disse isto, quando ela me diz “Não te estou a ver a andar de transportes”.

Já não é a primeira vez que me dizem coisas que, no fundo querem dizer “Tu és uma esquisitinha”. Seja pelo que como, seja pelo que visto ou mesmo como me desloco.

E tenho tanta consciência de que passo por "esquisitinha" que evito falar com certas pessoas sobre compras que faço. Sabem aquelas conversas de chacha que às vezes temos? Já deixei de ter com algumas pessoas.

Ainda no exemplo da deslocação, o único dia em que fui de transportes, estacionei o carro às 8h e só haviam 3 lugares para estacionar e o metro estava completamente cheio. Lidar todos os dias com isto: stress para estacionar, stress para entrar na carruagem, stress para sair da carruagem. Não, obrigada.

A verdade é que com o passar do tempo, tornei-me mais exigente e selectiva. Tendo a possibilidade de gastar mais um bocadinho e ficar 100% satisfeita, fico.

Por exemplo, eu tive que adoptar um estilo formal para ir trabalhar. Tive que investir em roupa para ir trabalhar. Claro que foi um rombo no orçamento, mas teve que ser. Talvez por me verem durante a semana, é que passo a imagem de “esquisitinha”.

Outra coisa que me dizem recorrentemente, é que sou esquisita a comer. Não, não sou. A única diferença era que antes era obrigada a comer o que não gostava. Agora simplesmente não como.

Se me derem a escolher entre a Mango e a Primark, eu escolho a Mango.

Se me perguntarem se almoço fora ou se trago almoço, eu digo que trago almoço. É mais barato.

Se me perguntarem se prefiro andar descalça ou calçado, por mim, andava sempre com os pés ao léu.

A meu ver, eu sou a mesma pessoa. Mas mais crescida.

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Gosto disto

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D