Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Deu-me para isto

Boa vida, Livros, Moda e Beleza, Música, parvoices

Há coisas ridículas

Esta semana fui jantar ao IKEA e encontrei algo ridículo:

IMG_0527[1].JPG

Meus leitores, o que estão a ver é o novo prato onde os clientes do restaurante do IKEA estão a ser servidos. Todo ele em plástico com talheres destacáveis.

IMG_0528[1].JPG

 Se não gostarem da cor preto, têm talheres em plástico brancos.

Até na cantina da universidade comia em melhores condições.....

 

Isto é que é ser amigo do ambiente, IKEA!

 

Dermatologia #8: Final do tratamento (será mesmo?)

Na última consulta, a minha médica disse-me para deixar de tomar os comprimidos uma semana antes de ir de férias. E assim fiz; na última semana de Junho deixei de os tomar. Ainda estou para perceber porque tive que tomar esta dose porque já não tinha quaisquer borbulhas.

 

Em relação aos efeitos secundários, notei logo diferenças na primeira semana:

- os meus lábios deixaram de estar secos e gretados

- a minha pele deixou de parecer baça (não é só o rosto que fica seco)

 

Já passou um mês desde que os larguei e para além dos efeitos secundários que já são inexistentes, comecei a notar que o meu corpo a voltava ao quase ao normal.

A médica tinha-me dito que deixaria de ter pele oleosa. Na maior parte dos dias isto é verdade; a minha pele já não é oleosa mas sim normal/mista. E digo mista porque em alguns dias noto alguma oleosidade na zona T (devem ser as hormonas). Isto não é propriamente voltar ao normal porque o "normal" para mim era a pele oleosa mas é uma melhoria.

Deixei, definitivamente, as bases com efeito Mate e presto mais atenção a bases iluminadoras. Ah, também fujo de bases com muita cobertura; agora já não preciso. Só quero mostrar a minha pele lisinha.

As borbulhas, essas, nunca mais se viram na minha cara. Lisinha como nunca. 

A médica diz para voltar à consulta em Setembro mas eu não sei se quero. Estou satisfeita com a minha pele e não quero continuar a tomar comprimidos. 

Motivação certa

Subi as escadas da Praia do Molhe a correr, os quatro ou cinco lanços de escadas sempre a correr. Parei no penúltimo para ganhar fôlego. Oiço um senhora com uma certa idade e com dificuldades a dizer:

 

"Que inveja! Quem me dera que eu conseguisse subir escadas assim"

 

 Com comentários destes uma pessoa até se sente melhor, não é? 

 

O que aconteceu na realidade....

Estava sentada na minha toalha e ouvi-o chegar. Levantei-me num ápice, ultrapassei a areia a escaldar nos pés e subi as escadas e cheguei ao carro.

Voltei para trás e desci também as escadas a correr. Consegui fazer o queria e voltei a sentar-me na toalha.

 

A bola de berlim soube-me pela vida 

 

Fiz aquela corrida para ir buscar dinheiro ao carro para comprar a bola de berlim. Ainda quis confessar à senhora do comentário a verdadeira razão mas tive vergonha 

 

Férias 2017 - Ferragudo/Parchal (parte 2)

Ferragudo e Parchal já não são novidade aqui no blog. O ano passado também fomos passar férias para lá. Sabem o que se diz "Em equipa que ganha não se mexe".

 

Hotel

Fomos na mesma para o Aguahotels Riverside e, mais uma vez, tivemos direito a upgrade. Em vez de um quarto standard, tivemos direito a uma suite júnior . Isto significa que tínhamos também uma sala e uma kitchenette.

Eu gosto muito do hotel por ser mesmo à beirinha do Rio Arade e a piscina é maravilhosa. As condições são, no geral, muito boas. Penso que pesa o facto de ser um hotel quase novo em folha.

 

Refeições

O pequeno-almoço estava incluído. É bastante bom, com alguma variedade de pães, bolos, cereais e até fazem panquecas na hora 

No dia em que chegámos, fomos almoçar ao Restaurante O Molhe. É mesmo à beirinha da praia e é muito bom. Comemos a Cataplana à Casa e ficámos muito satisfeitos.

Como tínhamos kitchenette, fizemos os jantares no quarto. A verdade é que os restaurantes que experimentamos o ano passado não eram assim tão bons para os repetirmos. E, com estas refeições "caseiras" descobrimos que as refeições congeladas do Lidl são muito boas (fica a dica). As do Jumbo nem tanto.

Nos almoços, tivemos duas opções: o centro comercial Aqua Portimão e o restaurante do hotel.

Quanto ao centro comercial, não é preciso dizer muito. Já sabemos o que a casa gasta: McDonalds, Vitaminas, mais do mesmo.

Quanto ao restaurante do hotel, não recomendo, pelo menos, ao almoço. Na verdade, não se pode dizer que é propriamente uma refeição. O que eles oferecem são saladas, hambúrgueres, pizzas, etc.

Então, da primeira vez comemos esparguete à bolonhesa. Apesar de a quantidade ser pequena, não estava mau. Durante a refeição, vimos passar as pizzas com muito bom ar e achámos que devíamos experimentar.

Da segunda vez, ele experimentou a pizza e eu experimentei os hambúrgueres. A pizza tinha ingredientes de lata e o meu hambúrguer vinha demasiado passado e era daqueles congelados.

Estão a ver porque é que eu digo que não recomendo? Ainda para mais pagámos cerca de 30 euros por refeição.

 

Praia

A praia do molhe foi a nossa praia de eleição. É uma praia pequenina junto às arribas e ao pontão. Para além de pequena, está cheia de rochas o que faz com que o areal seja pequeno para tantas toalhas e chapéus. O melhor acontece quando a maré baixa: a praia fica com mais uns 100 metros de areal.

 

E pronto foram estas as férias deste ano. E, vocês, por onde andaram?

Férias 2017 - Porto Covo (parte 1)

Este ano antecipámos as férias para Julho. Os dias são maiores, o tempo é mais estável, tudo boas razões para antecipar . Isto, e o facto de termos um casamento em Maio e uma comunhão solene em Junho que nos impediu de tirar a semana que costumamos tirar em Maio/Junho.

 

O destino escolhido para a primeira parte das férias foi Porto Covo. Penso que todos conhecemos Porto Covo e eu não preciso de falar muito sobre o quão maravilhosa esta vila é.

 

Hotel

Ficámos no Hotel Porto Covo. Em termos de hotel, é a única opção em Porto Covo; o resto são hosteis, pensões e parque de campismo.

Já tínhamos ficado neste hotel noutras férias e, agora consolidamos a nossa opinião em relação a ele. Pagámos 98€ por noite e, sinceramente, acho que se aproveitam da localização e de serem o único hotel para terem o preço tão alto.

O pequeno almoço tem pouca escolha e não é muito variado. Tem duas ou três variedades de pão, alguns doces e cereais para os pequenos. De vez em quando tinham croissants mas não era todos os dias. Acho que podiam fazer mais qualquer coisinha já que cobram cerca de 100€ por noite. 

Tivemos a sorte de ficar num quarto com kitchenet. O que foi bom porque poupámos uns trocos no almoço. No entanto, os quartos precisam de uma cara nova e de mais iluminação. São muito escuros.

 

Praia

A nossa praia de eleição é a praia da Samuqueira. Tem duas entradas mas uma delas fica inacessível porque a maré enche até às rochas. É uma praia bastante sossegada, apesar de ser famosa. Acho que pesa o facto de não ter nadador-salvador e as pessoas afastam-se um bocadinho.

IMG_0457[1].JPG

 Esta é a entrada que fica inacessível quando a maré enche. Aquele primeiro pedaço de areal deixa de existir.

 

Refeições

Descobrimos também que o bar da praia Grande estava fechado (?). Ficámos sem perceber se se transformou num restaurante que só abre com reserva ou se fechou de vez. Foi também por isto que almoçávamos no quarto.

Um conselho, se forem a Porto Covo e se não quiserem fazer refeições fora, abasteçam-se em casa ou em Sines. Existem dois supermercados mas o mais conhecido é o Meu Super (pertence ao Continente). É um supermercado muito pequeno e não tem grande variedade de produtos. Chegámos à conclusão que são abastecidos à sexta-feira e que os produtos esgotam muito depressa.

Em relação aos jantares, íamos fora. Porto Covo tem vários restaurantes por onde escolher. E o melhor de tudo é que nem precisávamos de pegar no carro, íamos a pé.

O nosso restaurante de eleição é o Marquês. Em termos de peixe e petiscos é o melhor. É um bocadinho caro mas, na minha opinião, vale a pena. O meu prato favorito foi o arroz de sapateira e gambas.

Como o Marquês fecha um dia por semana, fomos à pizzaria La Bella Vitta; é um restaurante italiano. É uma óptima alternativa aos restaurantes tradicionais. O staff é super simpático e a comida é muito boa.

Tentámos também o Restaurante Zé Inácio. Já lá tínhamos ido e gostámos bastante. No entanto, desta vez não adorei. Se calhar foi pelo prato (grelhada mista) que não veio como estava à espera. Mas é também uma boa opção.

 

Esta primeira semana foi óptima e o tempo estava perfeito; não estava calor em demasia. 

 

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Gosto disto

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D